sábado, 16 de março de 2019

Aline Ferro representa Campo Alegre em evento que tratou sobre a busca da equidade de gênero


Na tarde da última segunda-feira, 11 de março, o auditório do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea-AL) sediou o I Encontro das Profissionais de Áreas Tecnológicas do Sistema Confea/Crea-AL. Iniciado no mês da mulher, o evento estipulou um calendário de reuniões com o público feminino que visa combater preconceitos e fortalecer a equidade de gênero no mercado de trabalho.

A engenheira eletricista, única conselheira mulher do Crea-AL e coordenadora da comissão de ética, Ana Constantina, ressaltou a importância de aproximar as mulheres que fazem parte do Sistema. “Juntas, vamos identificar ações necessárias na dimensão profissional, ética e humana do exercício de cada profissão, considerado imprescindíveis para a participação das mulheres nas atividades desse Regional”, disse.


Presente na abertura do evento, o presidente do Crea e engenheiro civil Fernando Dacal, reforçou a luta feminina e colocou a instituição à disposição para acabar com formas de preconceitos que tantas mulheres sofrem por serem engenheiras em vários ambientes.

O evento contou com a participação especial dos presidentes Nacional da Mútua – Caixa de Assistência dos Profissionais e engenheiro civil, Paulo Guimarães, onde relembrou que a primeira vice-presidente da história do Confea foi a alagoana, Ana Constantina. Enquanto vice-presidente, Ana começou um programa, junto ao Governo Federal, sobre equidade de gênero.

Os presidentes da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Jubson Uchoa e do Clube de Engenharia, Aloísio Ferreira, e o conselheiro federal Zerisson Oliveira também participaram da abertura do evento.

Na segunda parte do encontro, as profissionais participaram de um bate-papo onde se apresentaram e contaram um pouco de suas experiências como mulher e desafios enfrentados no ambiente profissional.

Exemplo desses obstáculos de vida, veio da engenheira mecânica, Aline Ferro, que trabalha em uma oficina de caminhão no município de Campo Alegre - AL. Ela destacou sobre a falta de acolhimento no ambiente de trabalho.

“Eu estou muito feliz de estar aqui com vocês para poder compartilhar um pouco da minha rotina. Adianto para vocês que não é fácil, pois encontramos hoje muitos homens trabalhando na área da mecânica. A maioria deles machistas. Meu pai não queria que eu fizesse engenharia mecânica, mas eu resolvi pular as ordens dele e hoje trabalho e administro a oficina dele”, falou.


Ana Karine é tecnóloga em gestão ambiental e trabalha como servidora pública na cidade de Craíbas. No município, exerce a função de fiscal ambiental. Ela exaltou a iniciativa e pediu para que mais eventos como estes ocorra no Crea.


“Essa diversidade já é um diferencial que precisa ser pautado sempre. É a pluralidade que eu sinto falta no meu trabalho, porque eu sou mulher e toda vez que eu preciso notificar alguém, apesar de ser a minha função, um colega homem do mesmo segmento, precisa dar um aval da minha atuação, mesmo a responsabilidade técnica sendo minha”, desabafou.

Ao fim do evento foi construído um calendário de reuniões para encontros mensais que visam fortalecer o público feminino e criar um movimento para cobrar a equidade de gênero. O próximo bate-papo ficou marcado para o dia, 10 de abril, às 18h30, no auditório do Conselho.

A conselheira Ana Constantina incentiva todas as mulheres para convidar colegas de trabalho para comprar a ideia e fazer um movimento que lute para garantir direitos igualitários a todos.

Com: Blog do Renilton Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário